Ministério do Esporte Ministro vistoria preparativos para Jogos Mundiais Indígenas
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Ministro vistoria preparativos para Jogos Mundiais Indígenas

Daqui a 216 dias, a comunidade indígena mundial celebrará em Palmas a tradição e a cultura no maior evento esportivo voltado para as diferentes comunidades tradicionais. Nesta sexta-feira (13.02), o ministro do Esporte, George Hilton, conferiu o andamento da preparação na capital de Tocantins para a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), que vai acolher etnias de 30 países, no mês de setembro. “É um momento histórico receber a primeira edição dos Jogos. A competição é uma grande oportunidade para mostrar a rica diversidade do país.  Ao receber delegações de várias partes do  mundo poderemos mostrar,  além do espetáculo esportivo, a nossa cultura, o lazer e o fomente ao turismo. Tenho certeza que Palmas vai crescer e se desenvolver ainda mais com a realização dos Jogos”, disse o George Hilton.

São esperadas cerca de 2 mil atletas indígenas para os Jogos Mundiais. Entre as instalações que estão sendo implantadas na aldeia do mundial está o alojamento das etnias brasileiras, a Oca Digital e dos Saberes, museu do índio e a feira de artesanato.

Ministro George Hilton acompanha andamento das obras dos Jogos Mundiais Indígenas (Foto: Danilo Borges/ME)Ministro George Hilton acompanha andamento das obras dos Jogos Mundiais Indígenas (Foto: Danilo Borges/ME)

Tocantins conta com uma população indígena de cerca de 10 mil pessoas, de sete etnias, com cultura e tradições preservadas. O prefeito de Palmas, Carlos Franco Amasha, ressaltou que a presença do ministro George Hilton nesta fase de preparação é fundamental para mostrar o compromisso do país com o evento de porte mundial. “O ministro conheceu e viu a paixão e a empolgação de toda a cidade com o esporte e com os Jogos Mundiais Indígenas. Estamos falando do maior evento esportivo em 2015 e é um evento organizado por brasileiros para o mundo. Diferente de uma Copa de Mundo e Olimpíada, estamos falando de um evento que Palmas será a primeira sede mundial”, disse Amasha.

A concepção do projeto dos Jogos levou em consideração a praticidade das obras, mas também a logística da competição.  “Tudo aquilo que mostramos para o ministro em Brasília agora ele está vendo acontecer. As instalações são próximas e a aldeia Brasileira será na outra margem do rio, muito perto das instalações para facilitar a logística dos Jogos”, explicou o secretário da Secretaria Extraordinária dos Jogos Indígenas, Hector Franco.

(Foto: Danilo Borges/ME)(Foto: Danilo Borges/ME)

O secretário acrescenta que o Estádio Nilton Santos, sede das partidas de futebol no evento, passa por uma reforma que segue o padrão exigido pelo Estatuto do Torcedor. “A reforma vai levar qualidade para que não só as pessoas que irão participar dos Jogos Mundiais, mas o fã do esporte do Estado. Boa parte que estamos fazendo ficará para o futuro para que a cidade também faça parte do eixo de desenvolvimento”.

Os Jogos
Com o lema “Em 2015, somos todos indígenas”, a primeira edição do evento será a celebração da cultura nativa, diversidade, arte e tradição, em 13 dias de evento, que vai de 18 a 27 de setembro. A programação conta com esportes indígenas, que se dividem em jogos tradicionais demonstrativos e jogos nativos de integração, além dos esportes ocidentais competitivos, que também tem a característica de unificação das etnias e povos indígenas.

Segundo George Hilton, um evento esportivo mundial na cidade de Palmas mostra que o Brasil tem que continuar fomentando grandes competições em diferentes regiões do país. “Não é somente a região Sudeste que tem que desenvolver grandes eventos. Temos que levar grandes eventos para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Precisamos democratizar a agenda esportiva que hoje se concentra nos grandes centros. Para isso, o trabalho realizado aqui em Palmas de infraestrutura da cidade e de mobilidade – que conta com o apoio dos governos estadual e federal - é fundamental para grandes eventos. O grande legado dos grandes eventos é fazer o país uma potência esportiva de forma sustentável”, acrescenta o ministro.

Legado esportivo
Durante a agenda na cidade, George Hilton participou também do lançamento do Circuito Virgílio Coelho de Corrida de Rua 2015, que será promovido pela prefeitura de Palmas e contará com 11 corridas, que têm a proposta de incentivar a prática da atividade física no município. O evento de abertura será a Corrida Feminina, no dia 7 de março.

O ministro lembrou que a cidade conta com um projeto fundamental para a democratização da prática esportiva. “A cidade entra para a histórica como a única que no período curto participou três eventos mundial: legado da Copa do Mundo de futebol, dos Jogos Olímpicos com os Centros de Iniciação ao Esporte – que farão parte da Rede Nacional de Treinamento –e os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Esses eventos estão deixando um legado. Depois de ter entrado no circuito de grandes eventos esportivos não podemos terminar esse período no Brasil sem deixar o legado imaterial, que é despertar nas cidades a promoção da prática esportiva”, disse o ministro George Hilton.  

(Foto: Danilo Borges/ME)(Foto: Danilo Borges/ME)
 

Breno Barros, de Palmas
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla