Ministério do Esporte Ministro participa, em São Paulo, do lançamento do Centro de Formação Esportiva – Esportes Paralímpicos
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Ministro participa, em São Paulo, do lançamento do Centro de Formação Esportiva – Esportes Paralímpicos

O ministro do Esporte, Leandro Cruz, participou nesta segunda-feira (14.05) do lançamento, em São Paulo, do Centro de Formação Esportiva do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O projeto tem como objetivo promover, gratuitamente, a iniciação de crianças com deficiência física, visual e intelectual, na faixa etária de 10 a 17 anos, a oito modalidades paralímpicas: atletismo, bocha, futebol de 5, goalball, judô, natação, tênis de mesa e vôlei sentado, todas integrantes do programa dos Jogos Paralímpicos.

“Eu sou um apaixonado por esse tema, da inclusão e da iniciação. Esse é um belo centro de treinamento que a partir de agora não será capaz apenas de treinar e capacitar nossas seleções nacionais. Ele vai ser capaz, também, de construir nossas seleções do futuro”, afirmou o ministro, no evento realizado no Centro de Treinamento Paralímipco de São Paulo.

“Mas acho que essa deve ser a menor função desse projeto de iniciação. A maior é ajudar essas crianças a se superarem. Elas terão mais capacidade de se socializar, de ter independência e de enfrentar as barreiras que a vida vai lhes impor. Daqui sairão grandes atletas de alto rendimento, não tenho dúvidas. Mas daqui, desse que é um dos grandes legados dos Jogos Rio 2016, sairão, acima de tudo, mais de 300 cidadãos melhores”, disse Leandro Cruz, que, após a cerimônia de lançamento, acompanhou uma demonstração de judô com crianças do projeto.

O CPB tem cadastrados 367 alunos, dos quais 150 já começaram a frequentar as aulas. Para atender aos alunos, trabalham no Centro de Formação Esportiva oito profissionais de educação física e 12 estagiários da área, além dos componentes da Coordenação de Esporte Escolar, que é formada por quatro profissionais.

CT é referência

As crianças e jovens treinarão no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, o maior do país para treinamento de atletas paralímpicos. A estrutura é equipada para a prática de 15 modalidades e no local se preparam os atletas das seleções que disputarão os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

O projeto, que atende estudantes residentes em São Paulo e municípios vizinhos matriculados em rede de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), entrou em operação no dia 2 de abril. A meta é atender 350 crianças nesse semestre, mas há a possibilidade de o número chegar a 500 beneficiados ainda neste ano.

Bicampeão paralímpico no futebol de cinco, o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Mizael Conrado, lembrou do início da carreira e incentivou as crianças a nunca desistirem. “A gente sabe que cabe a cada um construir seu destino. Mas também sabe que existe um outro fator, a oportunidade”, lembrou o dirigente. “Acredite nos seus sonhos. Quanto maior for o seu esforço de acreditar, mais fácil vai ser transformar esse sonho em realidade”, aconselhou Mizael.

Estrutura completa

O projeto do Centro de Formação Esportiva é quase em sua totalidade financiado com recursos próprios do Comitê Paralímpico Brasileiro. O CPB conta com a parceria das prefeituras municipais de Diadema, São Bernardo, Santo André, Ribeirão Pires, Mauá, Rio Grande da Serra, cidade de São Paulo, Mairinque e com o Instituto Padre Chico, instituição paulistana especializada em ensino para deficientes visuais.

Autoridades de várias dessas cidades participaram do lançamento do projeto Centro de Formação Esportiva, entre elas Linamara Batttistella, Secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência e uma das grandes incentivadoras do projeto que culminou na construção do Centro Paralímpico Brasileiro, com investimento total de R$ 305 milhões, dos quais 187 milhões vieram do Ministério do Esporte e o restante do governo de São Paulo.

As crianças e jovens recebem uniforme e lanche durante o período que estão no CT Paralímpico. Também é oferecido transporte em locais estratégicos nos municípios parceiros. Todos os serviços são oferecidos gratuitamente. Os alunos são atendidos dois dias por semana, divididos em turmas às segundas e quartas-feiras e às terças e quintas-feiras, sempre em dois horários: 14h às 15h30 e das 16h às 17h30.

Até o momento, restam 80 vagas para deficientes físicos e outras 80 para deficientes visuais. O contingente de estudantes com deficiência intelectual já atingiu o limite da capacidade de atendimento dos profissionais do CPB. Deficientes auditivos não são atendidos pelo projeto porque não integram o programa do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) e de suas filiadas.

Para incentivar os participantes, a cada mês será realizado um festival com os alunos. O primeiro será no dia 28 de maio, com atividades de goalball. Cada aluno poderá trazer um amigo da mesma faixa etária (de 10 a 17 anos), com ou sem deficiência, para participar das atividades.

Inscrições

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., contendo idade, tipo de deficiência e a cidade de residência. Elas também podem ser feitas pessoalmente no CT Paralímpico (Rodovia dos Imigrantes, km 11.5, São Paulo), no departamento de Coordenação de Esporte Escolar.

De São Paulo – Luiz Roberto Magalhães – Ascom – ME

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla