Ministério do Esporte Estudantes brasileiros disputam os Jogos Sul-Americanos Escolares na Bolívia
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Estudantes brasileiros disputam os Jogos Sul-Americanos Escolares na Bolívia

A Delegação Brasileira está em Cochabamba, na Bolívia, para encarar os XXIII Jogos Sul-Americanos Escolares. A partir desta segunda-feira (04.12), a equipe disputa o evento que reúne mais de mil estudantes, com idade entre 12 e 14 anos, de 11 países da América do Sul. Os atletas irão disputar as provas de atletismo, atletismo PCD, natação, xadrez, tênis de mesa, handebol, voleibol, basquetebol e futebol.

Na cerimônia, o jovem nadador Gustavo Francisco Saldo, do Paraná, será o porta-bandeira do país na abertura dos Jogos. As primeiras partidas brasileiras serão no vôlei masculino, contra o Chile, e no handebol feminino, contra a Bolívia. Ao todo, dez modalidades, entre individuais e coletivas, estarão na disputa dos primeiros lugares do pódio para o Brasil no evento.

Os atletas brasileiros estão com a expectativa alta. Muitos estão participando pela primeira vez de uma competição internacional. É o caso de Gabriela Genevro, de 13 anos, natural de Santa Catarina, uma das promessas brasileiras no atletismo. “Treino desde os 9 anos e já vejo no esporte o meu futuro. Sei que vai ser difícil, mas estou treinando muito para me destacar nesse evento”, conta a atleta.

Também de Santa Catarina, quem está esperando a hora de entrar em quadra é a capitã da equipe de voleibol Ad Saudade, Cristini Bulegon. Aos 14 anos, a atleta atua como levantadora e ponteira. “Comecei a treinar com 8 anos, com o incentivo dos meus pais e amigas. Hoje, me sinto muito orgulhosa em poder defender o nosso país na maior competição a nível sul-americano. Terei a oportunidade de adquirir experiências em cada jogo disputado, possibilitando a evolução do meu voleibol”, ressalta Cristini.

Vitor de Cesaro, de 14 anos, do Rio Grande do Sul, entende a dificuldade da competição, mas não desanima. “É uma competição com as provas mais difíceis, é a que mais tem participantes, mas pretendo ficar entre os finalistas e voltar com uma medalha para casa”, vislumbra o atleta de atletismo.

A única capixaba na competição, Milena Pizzin, nada desde os três anos de idade e hoje, aos 14, representa o Espírito Santo também pela primeira vez em um evento internacional. “Os 50m borboleta é a prova que eu disputo desde pequena, mas de uns anos para cá vem dando resultados. Estou muito confiante e ansiosa para subir ao pódio, conhecer um novo país e novas pessoas”, destaca a nadadora.

O vice-presidente da Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE), Francisco Braz, que acompanha os atletas na competição, destaca a expectativa para os resultados dos atletas brasileiros. “O Brasil tem a tradição de ganhar várias medalhas em todas as modalidades nos Jogos Sul-Americanos. Nossa expectativa é de que manter a tradição e ser campeão geral da edição 2017”, ressalta Braz.

Os Jogos Sul-Americanos Escolares têm a CBDE como responsável pela delegação brasileira. A competição de alto rendimento envolve 11 países e mais de mil atletas entre 12 e 14 anos. As modalidades contempladas nos Jogos são: atletismo, atletismo PCD, natação, xadrez, tênis de mesa, handebol, voleibol, basquetebol e futebol.

Participação Brasileira Na última vez em que esteve na competição, em 2015, o Brasil encerrou sua participação como campeão geral, saindo dos jogos como grande potência desportiva escolar. No ano seguinte, em 2016, o Brasil não participou do torneio, que foi realizado em Medelim, na Colômbia. Em 2017, o Brasil volta a participar da competição após o convênio assinado entre a CBDE e o Ministério do Esporte, que garantiu a participação dos atletas escolares na competição.

Fonte: Confederação Brasileira do Desporto Escolar

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla