Ministério do Esporte Centro paralímpico em Botucatu começa a ser construído
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Centro paralímpico em Botucatu começa a ser construído

Botucatu, no interior de São Paulo, terá uma estrutura que credencia a cidade a ser uma referência no paradesporto da região. O ministro do Esporte, Ricardo Leyser, assinou junto ao prefeito João Cury Neto, a ordem de serviço para o início das obras de um ginásio para atender modalidades como basquete em cadeira de rodas e vôlei sentado, nesta segunda-feira (18.04). A empresa está contratada e iniciou os trabalhos nesta tarde.
 
“Neste ano olímpico, parte dos nossos planos é o financiamento de projetos dos municípios. Temos milhares de financiamentos, mas nem sempre os parceiros conseguem entregar no tempo correto e no preço justo. E aqui temos um parceiro de sucesso, com esse espírito público que nos dá segurança”, elogiou o ministro.
 
Prefeito de Botucatu e ministro do Esporte assinam ordem de serviço para início das obras de ginásio paralímpico. (Foto: Francisco Medeiros/ ME)Prefeito de Botucatu e ministro do Esporte assinam ordem de serviço para início das obras de ginásio paralímpico. (Foto: Francisco Medeiros/ ME)
 
O ginásio paralímpico terá quadra com dimensões oficiais de 40 por 20 metros e capacidade para receber até 800 pessoas. Os investimentos serão de R$ 2,1 milhões, sendo R$ 1,7 milhão em recursos federais. Localizado no Bairro Alto, o equipamento vai integrar um complexo que terá duas piscinas (uma semiolímpica e outra de hidroterapia) e um Centro de Tecnologia e Inclusão para pessoas com deficiência, que estão em fase final de construção. As instalações ficam ao lado do ginásio poliesportivo municipal.
 
“O apoio que recebemos do Governo Federal mudou a realidade do nosso esporte em várias modalidades e por conta da nossa parceria em diversos programas. No Segundo Tempo, temos mais de 1,5 mil crianças no contraturno escolar, o que transformou a vida de muitas famílias”, comentou o prefeito Cury Neto.
 
Ricardo Leyser apontou o potencial de Botucatu para servir como modelo de políticas públicas esportivas para outros municípios. “Poucas prefeituras no Brasil dão atenção ao paradesporto, que tem um potencial enorme de inclusão social e desenvolvimento humano. São políticas públicas importantes para todos e a população se beneficia. É fundamental termos cidades que sejam modelo para servir de referência para outros municípios e aqui vemos esse potencial”.
 
Ricardo Leyser recebe placa em agradecimento aos serviços prestados à Botucatu. (Foto: Francisco Medeiros/ ME)Ricardo Leyser recebe placa em agradecimento aos serviços prestados à Botucatu. (Foto: Francisco Medeiros/ ME)
 
Sucesso paralímpico
O apoio do Ministério do Esporte na construção do ginásio faz parte da estratégia de espalhar o legado dos Jogos Rio 2016 por todo o país. O ministro lembrou que os atletas terão o Centro Paralímpico Brasileiro (CPB), em São Paulo, um dos melhores complexos do tipo no mundo.
 
Ricardo Leyser aproveitou ainda para chamar a atenção para as disputas das Paralimpíadas do Rio. “Temos um descompasso do desempenho do paradesporto brasileiro com o interesse do público. Estamos entre os sete melhores países paralímpicos e pouca gente tem interesse nestas modalidades”, disse o ministro, que convidou os presentes a prestigiarem o megaevento em setembro.
 
Outro incentivo ao paradesporto se dá por meio do Bolsa Atleta, maior programa de patrocínio individual e direto do mundo. O Ministério do Esporte beneficia 1.298 atletas de modalidades paralímpicas, totalizando R$ 18,7 milhões por ano. Com a Bolsa Pódio, categoria mais alta do Bolsa Atleta, 94 atletas de modalidades individuais são patrocinados. O investimento anual é de R$ 15 milhões.
 
Infraestrutura esportiva
Também nesta segunda-feira, o ministro e o prefeito assinaram a ordem de serviço para a construção de um complexo esportivo na região do Jardim Monte Mor. O espaço contará com diversas estruturas, entre elas uma pista de BMX e um campo de futebol de grama sintética e receberá R$ 4 milhões em investimentos, sendo R$ 3,9 milhões do Ministério do Esporte.
 
A cidade ainda conta com uma Praça da Juventude. Inaugurada em 2013, a instalação recebeu aporte de R$ 1,5 milhão e tem uma quadra poliesportiva, campo de futebol, pistas de corrida e de skate, área de ginástica, centros de convivência e da terceira idade. 
 
Gabriel Fialho, de Botucatu (SP)

Ascom - Ministério do Esporte

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla