Ministério do Esporte Em discurso na Câmara de Comércio Brasil-França, ministro George Hilton destaca nacionalização dos Jogos Rio 2016
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Em discurso na Câmara de Comércio Brasil-França, ministro George Hilton destaca nacionalização dos Jogos Rio 2016

(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)
A reta final das obras e preparativos para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 foi destacada nesta segunda-feira (09.11) pelo ministro do Esporte, George Hilton, em discurso na Câmara de Comércio Brasil-França, em Paris. Convidado de um jantar que reuniu empresários dos dois países, além do ministro do Esporte francês, Thierry Braillard, e do embaixador do Brasil na França, Paulo Cesar de Oliveira Campos, George Hilton explicou o processo de nacionalização dos Jogos Rio 2016 coordenado pelo governo federal: “Daquele pontinho ali no litoral, que é a cidade do Rio, vai-se espalhar por todo o território nacional o que chamamos de legado dos Jogos”.
 
O ministro brasileiro está em Paris para participar da 38ª Conferência-Geral da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). Os 195 Estados-membros vão promover nesta quarta-feira (11.11) a revisão da Carta Internacional de Educação Física e Esporte, dando ênfase ao ensino de educação física nas escolas como base da prática perene de atividades esportivas. "Em extraordinária coincidência, a resolução que será definida aqui em Paris, recomendando às nações que elejam a educação física dos povos como prioridade, converge para o plano de esportes que vem sendo desenvolvido pelo governo brasileiro", discursou George Hilton.
 
(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)Desde que divulgou a primeira fase do Diagnóstico Nacional do Esporte, em abril, o ministro tem defendido o fortalecimento da educação física nos currículos escolares como forma de combater o índice preocupante de sedentários no Brasil – 45,9%, de acordo com a pesquisa do Ministério do Esporte. "Temos uma grande responsabilidade como país olímpico. Uma missão que não depende apenas do Poder Público. Para cumpri-la, contamos com o apoio da iniciativa privada. Juntos, governo e empresas, atletas e sociedade, vamos consolidar o esporte como ferramenta de educação, de inclusão social, de garantia à saúde e à qualidade de vida."
 
George Hilton lembrou que o governo federal está montando a Rede Nacional de Treinamento, com a construção e a reforma de centros de várias modalidades olímpicas em todas as regiões do país, além de erguer 255 Centros de Iniciação ao Esporte em 241 cidades. “O impulso à prática esportiva conferido pelos Jogos Olímpicos e Paralímpicos encontrará locais com toda a infra-estrutura para se praticar desde o nível básico, desde o primeiro contato com o esporte, até o treino de alto rendimento.”
 
(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)
 
Sistema Nacional do Esporte
O ministro do Esporte chegou a Paris na tarde desta segunda-feira (09.11). Antes do jantar que homenageou as empresas Natura (Brasil) e Sangoban (França), ele se reuniu com a embaixadora da Delegação Permanente do Brasil junto à Unesco, Eliana Zugaib, e com o embaixador Paulo Cesar de Oliveira Campos para se inteirar dos últimos detalhes da Conferência-Geral da Unesco.
 
George Hilton reiterou aos diplomatas que pretende enviar ao Congresso Nacional até o fim do ano o projeto do Sistema Nacional do Esporte, espécie de Lei de Diretrizes e Bases. “Vamos definir as responsabilidades dos entes públicos e privados, desde o ensino obrigatório de educação física até a gestão dos centros de alto rendimento”, explicou o ministro. "Precisamos de uma legislação transversal, que garanta a continuidade das políticas públicas."
 
Paulo Rossi, de Paris
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook
 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla