Ministério do Esporte Indígenas da Colômbia e do Congo esperam promover a diversidade com Jogos Mundiais
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Indígenas da Colômbia e do Congo esperam promover a diversidade com Jogos Mundiais

Os indígenas da Colômbia que estarão em Palmas (TO) para participar dos I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, de 20 a 31 de outubro, querem promover a diversidade e o aporte das diferentes etnias na construção de um mundo de convivência e harmonia.
 
Representada pelos povos Nasa, Mwak, Embeva, Huitoto, Esperara, Wayua, Pardos, Totoro, Kokonuko, Inga, Kamentsa, Wounan, Tikuna, Saliva entre outros, o líder da delegação da Colômbia, José Vicente Otero Chate, afirmou que a competição permitirá fortalecer a unidade e a organização entre os povos indígenas do mundo, e o reconhecimento dos estados.
 
Jogos Mundiais dos Povos Indígenas servirão para promover a diversidade cultural. (Foto: Ivo Lima/ ME)Jogos Mundiais dos Povos Indígenas servirão para promover a diversidade cultural. (Foto: Ivo Lima/ ME)
 
Ele ressaltou ainda que uma das contribuições dos representantes colombianos para os jogos é dar visibilidade ao evento e estimular os processos de recuperação cultural e de identidade. “Vamos ajudar no processo de comunicação indígena em todo o Abya Yala (continente americano – Norte, Centro e Sul). Divulgaremos e transmitiremos os jogos em línguas originais e produziremos material comunicativo para os diversos processos indígenas do continente, com o aporte de nossas tradições, com o esforço organizativo em sua preparação”.
 
Para os indígenas do Congo-Brazaville a maior motivação é apresentar seu povo para outras pessoas e trocar experiências com as demais etnias. “Os Jogos são realmente relevantes desde que haja a possibilidade de conhecer outros grupos indígenas e trocar experiências com outras delegações”, ressaltou o líder Parfait Dihoukamba.
 
“Ter uma delegação africana nos Jogos só contribui para o sucesso do evento, além de reforçar a vontade de sediar a competição”, concluiu. Do Congo virão as etnias Baaka (da província de Likuala), Mbengele (província de Sangha), Bakole (província de Cuvette Ouest), Atsua (província de Plateaux), Babi (províncias de Pool e Babongo) de Lekoumou e Niari.
 
Cleide Passos
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook
 
 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla