Ministério do Esporte ABCD realiza ação com alunos em Ceilândia (DF) para marcar o Dia do Jogo Limpo
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

ABCD realiza ação com alunos em Ceilândia (DF) para marcar o Dia do Jogo Limpo

Em todo o mundo, o dia 10 de abril é comemorado como o Play True Day, ou o Dia do Jogo Limpo. A iniciativa da Agência Mundial Antidopagem (Wada, na sigla em inglês) tem o objetivo de conscientizar atletas, equipes e toda a comunidade esportiva na luta contra a dopagem. Como parte das celebrações da data, a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) da Secretaria Especial do Esporte realizou, nesta quarta-feira, um evento no Centro Olímpico e Paralímpico do Setor O, em Ceilândia (DF), com a participação de atletas, professores e familiares.

"É uma honra estar presente em uma cerimônia que está se repetindo no mundo inteiro", afirmou Marco Aurélio Vieira, secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania. "É muito importante que, no Dia do Jogo Limpo, nos recordemos do problema da droga no Brasil. Já é uma epidemia, e o esporte tira a criança, o jovem e o adulto da droga. Quanto mais esporte, menos problema social, menos insegurança".

O evento contou com a participação do secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira, entre outras autoridades. Foto: Francisco Medeiros/Ministério da CidadaniaO evento contou com a participação do secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira, entre outras autoridades. Foto: Francisco Medeiros/Ministério da Cidadania

Também presente à cerimônia, o vice-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Marco La Porta, destacou que a entidade está implementando políticas de prevenção e combate à dopagem. "Ao longo de toda a nossa história em Jogos Olímpicos, o Brasil se orgulha de jamais ter tido um caso de doping em qualquer atleta brasileiro. Isso é fruto do trabalho de conscientização de que o resultado tem que vir por meio do esforço do atleta", reforçou.

O objetivo da ABCD, por meio das campanhas educacionais, vai além do foco no alto rendimento. O intuito é que, ainda na iniciação esportiva, as crianças já tenham conhecimento sobre os riscos do uso de substâncias proibidas e a valorização do jogo limpo. Segundo o secretário indicado para a ABCD, o campeão olímpico de vôlei de praia Emanuel Rego, a iniciativa em Ceilândia foi a primeira de uma sequência. "Temos uma série de datas preparadas para fazer as ações educacionais. Aqui é só o princípio, uma degustação do que a gente pode fazer para levar o conhecimento da antidopagem a outras áreas e profissionais", adiantou.

"É na base, na formação, onde começam a se acostumar com a disciplina do esporte, com a dedicação, em sonhar ser atletas. O mais importante é a saúde dessas crianças, a transformação delas em grandes cidadãos para o futuro", completou Washington Cerqueira, secretário indicado para a Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis).

Ao longo da semana, foram realizadas palestras com professores sobre o funcionamento dos testes de dopagem e a importância do uso responsável de medicamentos. Além disso, no Centro Olímpico e Paralímpico, os cerca de 70 atletas presentes, entre crianças, adultos e idosos, puderam participar de oficinas, jogos e atividades para reforçar a luta mundial contra as substâncias proibidas. "Vamos incentivar o esporte correto, jogado com as regras, sem que sejam usados artifícios que são nocivos, que prejudicam aqueles valores que todos aqui estão buscando, de superação, de integração", afirmou Denise Cardoso, secretária executiva de Políticas do Esporte da Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal.

O público participou de oficinas, jogos e aula de dança. Foto: Francisco Medeiros/Ministério da CidadaniaO público participou de oficinas, jogos e aula de dança. Foto: Francisco Medeiros/Ministério da Cidadania

Referências esportivas
O público presente no evento do Dia do Jogo Limpo aprovou as atividades e as lições recebidas. "Acho importante introduzir esse assunto para a criança. Assim como o acesso é facilitado, a informação de prevenção também deve ser", opinou a servidora pública Ketlin Madeiro, 35 anos, mãe da pequena Júlia, de 5 anos, aluna do centro do Setor O há três meses. Ali ela tem aulas de atletismo, natação e ginástica duas vezes por semana. "Ela se desenvolveu muito. Antes tinha medo de piscina e agora não perde um dia de aula", contou. Segundo Denise Cardoso, o Distrito Federal tem hoje 12 centros em funcionamento.

As crianças também tiveram a oportunidade de conversar com nomes de referência do alto rendimento brasileiro. A festa contou com a participação dos atletas paralímpicos Ariosvaldo Fernandes, o Parré, do atletismo, e Sérgio Oliva, do hipismo, além das jogadoras Júlia Silva, Eduarda Lima e Natália Gonçalves, do time Brasília Vôlei.

"Esse tipo de evento mostra aos atletas a importância do jogo limpo, de não tentar burlar o sistema, usar de outras formas para superar o adversário. Isso que é o importante da vitória, é você ganhar com o seu treinamento. Você tem que ser 'dopado' de superação, de força e de foco", ensinou Parré, dono de oito medalhas nos Jogos Parapan-Americanos.

"Tenho 17 anos de carreira, já fui testado algumas vezes nos exames antidoping. Essas ações ensinam as crianças que elas precisam usar da superação, do foco, do treinamento árduo de todo dia. Não é fácil, mas é gratificante conseguir uma medalha paralímpica ou em Mundiais, é um sonho realizado que você leva para o resto da vida", comentou Sérgio Oliva, duas vezes medalhista de bronze nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Vice-campeão da Paralimpíada Escolar no ano passado e integrante da seleção brasileira de base da bocha paralímpica, Igor Tavernard também fez questão de enfatizar o valor das conquistas limpas. "Para a formação de um grande atleta, é preciso que ele saiba respeitar as diretrizes do esporte. Não há nada mais gratificante do que conquistar uma vitória limpa e justa, resultado do seu esforço, da sua dedicação e da sua qualidade no esporte. A vida de atleta é de abrir mão, mas é uma vida muito gratificante", destacou.

Ana Cláudia Felizola – Rededoesporte.gov.br
 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla