Ministério do Esporte Seminário debate as artes marciais como ferramenta educacional e de inclusão social
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações:  (61) 3217-1875E-mail:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Seminário debate as artes marciais como ferramenta educacional e de inclusão social

Em parceria com o Centro de Desenvolvimento de Pesquisa em Políticas de Esporte e Lazer da Rede CEDES do Estado de Goiás, o Ministério do Esporte realizou nesta sexta-feira (07.12), o 1o Seminário Lutas e Artes Marciais: Dimensões Educacionais e Formação Humana. O evento reuniu mais de 200 participantes na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro.

Foto: Marco Senna/MEFoto: Marco Senna/ME

Além de presidentes de confederações e federações de artes marciais, professores que atuam nos projetos sociais do ministério, como o Esporte e Cidadania e Virando o Jogo, além de praticantes de jiu-jitsu, judô, kickboxing e capoeira, o evento contou com a presença do ministro do Esporte, Leandro Cruz, defensor da adoção do esporte como ferramenta de inclusão social de crianças e jovens por meio da prática esportiva.

A realização do seminário teve como objetivo ser o ponto de partida para integrar estudos e enriquecer o debate acadêmico em direção ao crescimento e fortalecimento das artes marciais como processo educacional. Trata-se de um primeiro passo para a criação de uma rede de fomento de conhecimento e formação.

“Nosso desafio no Ministério do Esporte foi construir uma política pública de esporte através das artes marciais como ferramenta de transformação social. E não podemos deixar tudo isso se perder. Esse seminário é a consolidação documentada do que está sendo feito. Com programas sociais implantados em 216 núcleos no estado do Rio de Janeiro, estamos possibilitando acesso e melhor formação cultural e esportiva às nossas crianças e jovens, como instrumento da formação do caráter, da dignidade, da solidariedade e do amor ao próximo”, disse o ministro Cruz na abertura do evento, destacando a importância do seminário e já propondo uma segunda edição no ano que vem, em Brasília.

A mesa de debates foi formada pelo ministro Cruz, pelo coordenador do Centro de Desenvolvimento de Pesquisa em Políticas de Esporte e Lazer da Rede CEDES, Wilson Lino; pelo presidente da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Desportivo, Rogério de Abreu Gavazza; pelo diretor da Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão do ME, Rafael Azevedo dos Santos; e pelo professor Marcel Farias de Sousa, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Em sua fala, o coordenador da Rede CEDES destacou a parceria com o Ministério do Esporte. “Hoje, estamos tendo a oportunidade de promover este grande debate que visa qualificar ainda mais as práticas educacionais pelas lutas e artes marciais. E essa é uma primeira iniciativa para a formatação de uma rede de novos conhecimentos e de linha de atuação nessa área do esporte educativo”, salientou Wilson, citando a Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), do Ministério do Esporte.

Foto: Marco Senna/MEFoto: Marco Senna/ME

Temas

O tema "Luta e Artes Marciais" foi trabalhado por pesquisadores de cinco universidades federais (UFB/Bahia, UFG/Goiás, UFMA/Campus Imperatriz, USP/São Paulo e UFS/Sergipe), dividido em três mesas temáticas: "As experiências como docentes e como praticantes de capoeira, Budô, Aikidô, Karatê e MMA"; "As dimensões educacionais do kung fu, do Ving Tsun/Kung Fu e do Aikidô e suas contribuições para a formação humana", e "As dimensões educacionais da capoeira, do Krav Magá e as possíveis contribuições destas práticas para a formação humana".

O seminário contou com a participação dos pesquisadores Ricardo Ricci Uvinha, Cristiano Roque Barreira e Walter Roberto Correia, da Universidade de São Paulo (USP); Fábio Cardias, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA); José Luiz Ciqueira e Pedro Alberto Gomes, da Universidade Federal de Goiás (UFG); Neuber Leite Costa, da Universidade Estadual da Bahia (UNEB); e Benedito Carlos Caíres Araújo, da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Também marcaram presença no encontro o coordenador do Departamento de Desenvolvimento e Acompanhamento de Políticas e Programas Intersetoriais (Dedap), do Ministério do Esporte, Hudson Gonçalves; e o superintendente da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO), Célio René.

Ministério lança cartilha

A realização do seminário resultou no lançamento de uma cartilha, que leva o mesmo nome do evento, subdividida em oito tópicos centrais:

1. Lutas e artes maciais nos estudos da Rede CEDES
2. O que são as lutas?
3. Cultura ocidental e Wing Chun
4. A luta corporal e as artes marciais como práticas éticas
5. Artes marciais: saberes e poderes públicos
6. Uma experiência com o Budô japonês e o Japão
7. A importância do trato da luta na escola
8. Realidade e possibilidade do ensino das lutas no Brasil

Cada participante recebeu um exemplar da cartilha, como forma de aprofundar e solidificar o conhecimento sobre o tema em discussão.

Marco Senna, do Rio de Janeiro
Ministério do Esporte
 

 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla