Ministério do Esporte Países das Américas do Sul, Norte e Central discutem ampliação de programas e ações antidopagem
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Países das Américas do Sul, Norte e Central discutem ampliação de programas e ações antidopagem

O controle antidopagem foi o principal tema discutido durante a 18ª Assembleia do Conselho Americano do Esporte (Cade), realizada nesta quinta-feira (26.04) em Cali, na Colômbia. Com a participação de 22 países das Américas do Sul, Central e do Norte, a reunião também contou com a presença de representantes da Agência Mundial Antidoping (Wada) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Ângelo Bortoli, diretor do Departamento de Gestão de Programas de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social do Ministério do Esporte, participou da reunião como representante do Brasil.

Foto: Mateus Baeta/MEFoto: Mateus Baeta/ME

Em sua apresentação, a diretora regional da Wada para a América Latina, Maria José Pesce, destacou os objetivos cumpridos pela agência no último ano, entre eles a ampliação do programa de supervisão do cumprimento do Código Mundial Antidopagem e os esforços conjuntos dos países membros do Conselho contra a dopagem, citando inclusive o papel de liderança do Brasil em relação ao tema na América do Sul.

Pesce também traçou metas para os próximos três anos. Os principais objetivos da agência são fortalecer as organizações antidopagens nacionais em todo o mundo, aumentar a capacidade de controle e de prevenção de dopagem, melhorando as ferramentas educativas e de monitoramento da efetividade dos programas, aumentar a ajuda aos países e a capacitação de profissionais especializados e melhorar a análise de amostras. “Devemos trabalhar juntos para assegurarmos que prevaleçam os atletas limpos”, falou Pesce.

A Wada também apresentou um plano de investimento que prevê um incremento de 34% nas verbas destinadas à agência até 2021. De acordo com Maria José Pesce, o aumento do aporte é fundamental para melhorar a capacidade da agência no controle de dopagem, aumentando, para isso, os investimentos em inteligência e investigação. “Nosso objetivo não é sancionar os países, mas sim ajudá-los a ter melhores programas antidopagem e favorecer assim o esporte”.

O secretário de Esporte do Uruguai, Fernando Cáceres, pediu a palavra para questionar a eficiência do atual modelo de controle de dopagem. Embora tenha ressaltado a importância dos esforços da Wada na área, Cáceres ponderou que o sistema atual serve apenas para punir os atletas, especialmente os que não têm o apoio de corporações mundiais nas busca por resultados. De acordo com o uruguaio, os dispositivos de controle hoje disponíveis contra o doping são incapazes de chegar ao cerne do problema, em um sistema movido por interesses financeiros.

René Bouchard, consultor de relações governamentais da Wada, concordou que o controle antidopagem precisa ser desenvolvido para que seus resultados sejam mais eficazes, mas garantiu que a agência tem a preocupação de investir cada vez mais em inteligência e investigação, justamente para ampliar seu alcance. Bouchard pediu que os esforços sejam conjuntos nesse sentido e citou a o processo de revisão do Código Mundial Antidopagem, que começou em 2017 e será concluído em 2021, como uma das ações já colocadas em prática para atingir o objetivo.

Troca de experiências

A assembleia do Cade também serviu para que o país anfitrião, a Colômbia, mostrasse suas ações e políticas públicas no âmbito esportivo. A governadora da região do Valle Del Cauca, Dilian Toro, deu as boas–vindas a todos os presentes e aproveitou para ressaltar as atrações turísticas, esportivas e culturais de Cali, ressaltando a tradição da cidade para o desporto. Depois, representantes do Departamento de Esporte, Lazer e Atividade Física da Colômbia (Coldeportes), apresentaram os programas do governo para o apoio de atletas desde a escola até o alto rendimento e também destacou os várias acordos com os países das Américas para intercâmbio e troca de experiências.

A assembleia, conduzida pelo presidente do Cade, Danilo Díaz, da República Dominicana, também definiu a criação de uma secretaria geral para o Conselho e aprovou a proposta do Uruguai de sediar o encontro no ano que vem.

De Cali (Colômbia), Mateus Baeta - Ministério do Esporte
 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla