Ministério do Esporte VII Edição - Porto Seguro/2004
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

Organizado pelo Comitê Intertribal Indígena, com apoio do Ministério do Esporte, os Jogos dos Povos Indígenas têm o seguinte mote: “O importante não é competir, e sim, celebrar”. A proposta é recente, já que a primeira edição dos jogos ocorreu em 1996, e tem como objetivo a integração das diferentes tribos, assim como o resgate e a celebração dessas culturas tradicionais.


Informações: (61) 3217-1614 E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

VII Jogos dos Povos Indígenas/2004

A VII Edição dos Jogos dos Povos Indígenas, programada para o período de 19 a 27 de novembro, terá esse ano mais um atrativo. Ela acontecera em Porto Seguro, na mesma praia onde foi registrado o primeiro encontro entre os brancos portugueses e os índios brasileiros. Os jogos acontecerão numa arena montada na reserva da jaqueira, local onde hoje habitam os Pataxós. Mais de 1200 atletas indígenas de 53 etnias nacionais e internacionais são esperados para o evento.

Com o lema "o importante não é competir, mas sim celebrar", os Jogos são realizados desde 1996. Eles têm o objetivo de promover a integração entre os povos indígenas e incentivar, valorizar e fortalecer a prática dos esportes de identidade cultural praticados pelos índios em suas aldeias. Além das provas esportivas, as etnias apresentam suas manifestações culturais como dança, cânticos e pinturas.

Para este ano está prevista a realização de rituais das tribos, tanto na abertura como no encerramento do encontro. Os Jogos dos Povos Indígenas são uma realização do Ministério do Esporte em parceria e com o Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena, e contam com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Para viabilizar a realização da sétima edição, o Ministério do Esporte firmou convênio com o Governo do Estado da Bahia que cuidará da montagem de toda a infra-estrutura para o evento.

Os Jogos dos Povos Indígenas resgatam hábitos e tradições da diversidade cultural étnica que caracteriza o Brasil Indígena. Para participar dos jogos e para confraternizar, jovens, mulheres, homens, crianças e anciãos saem de suas aldeias e enfrentam uma longa jornada a pé, de barco e de ônibus até chegar a Porto Seguro. Eles viajam por vários dias, entoando cânticos que falam do espírito guerreiro e da alegria de conhecer novas terras e novos irmãos.

O coordenador do Comitê Intertribal, Carlos Terena, explica que a realização dos Jogos dos Povos Indígenas sempre foi uma.jspiração das comunidades indígenas brasileiras que praticam uma modalidade esportiva. "Por muito tempo esse ideal foi manifestado pelos povos indígenas que reivindicavam ações efetivas do Governo para a formulação de uma política nacional voltada para as questões sociais", disse Terena.

Os Jogos dos Povos Indígenas já foram realizados em Goiânia (GO), Guairá (PR), Marabá (PA), Campo Grande (MS), Maraoirim(PA) e em Palmas (TO). Na última edição mais de mil indígenas de 47 etnias do País competiram durante o evento. Além dos índios brasileiros, indígenas da Guiana Francesa e do Canadá também estiveram presentes.

Modalidades - A VII edição dos Jogos dos Povos Indígenas possui ao todo 16 modalidades, divididas em esportes tradicionais (Arco e Flecha; Canoagem; Arremesso de Lança; Cabo de força; e Corrida de Tora ), atividades demonstrativas (Lutas Corporais; Zarabatana; Xikunahity; Tihimore; Katulaya; Akô; e Jãmparti) e esportes não tradicionais (Futebol de Campo; Atletismo; Natação/Travessia; Corrida de fundo).

Este ano, os VII Jogos dos Povos Indígenas terão a participação de 54 etnias: Aikewara, Asurini do Xingu, Awá Guajá, Aweti, Bakairi, Bororo, Enawenê-Nawê, Etnias Australianas, Etnias Canadenses, Gavião do Pará, Guajajara, Guarani, Ikpeng, Irantxe, Javaé, Kaapor, Kadiwéu, Kaigang. Kaiwá, Kalapalo, Kamayurá, Kanela, Kantaruré, Karajá, Kayabi, Kayapó, Kiriri, Krahô, Krenak, Kuikuro, Matis, Maxakali, Nambikwara, Pankararé, Pankararu, Paresi, Pataxó, Rikbaktsa, Suruí, Tapirapé, Terena, Tuxá, Wai Wai, Waiãpi, Waimiri Atroari, Waura, Wayapi Guiana Francesa, Xakriabá, Xavante, Xerente, Xikrin, Xukuru Kariri, Yanomami, e Yawalapiti.

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla