Ministério do Esporte Complexo Esportivo no Maranhão recebe equipamentos de basquete e terá Parque Aquático reformado
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

Complexo Esportivo no Maranhão recebe equipamentos de basquete e terá Parque Aquático reformado

Ginásio para diversos tipos de modalidades, pista de atletismo e piscina olímpica. Estes são os três equipamentos esportivos que o governo federal pretende disponibilizar nas 27 capitais brasileiras para estruturar e massificar o esporte no país. Em São Luís, no Maranhão, dois destes espaços foram inaugurados nesta quinta-feira (05.02) e outro será reformado em breve.

O ministro do Esporte, George Hilton, participou da entrega da pista de atletismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), pela manhã, e dos novos equipamentos de basquete – piso flutuante, apontadores, tabelas e placares - do ginásio Georgiana Pflueger, o “Castelinho”, pela tarde. George Hilton também assumiu o compromisso de revitalizar o Parque Aquático do Complexo Esportivo Canhoteiro, que tem uma piscina olímpica (50 metros) e outra para saltos ornamentais, com plataformas de 3, 5 e 7 metros.

(Foto: Paulino Menezes/ME)(Foto: Paulino Menezes/ME)

“Nós temos outros desafios em outras modalidades, acredito que o basquete aqui no Maranhão está bem servido e agora nos dá alegria. Temos que fazer com que essas crianças que hoje estão aqui, acreditem que tiveram todas as oportunidades oferecidas pelo poder público, entidades e apoiadores do basquete. Os investimentos feitos aqui são da ordem de R$ 6 milhões e a nossa meta é que todas as capitais do Brasil tenham uma pista de atletismo, uma piscina olímpica, que aqui assumimos o compromisso de reformar, e um ginásio, para que haja espaços para treinamento e formação de novos atletas”, afirmou Hilton.

O plano do ministro é que as estruturas usadas pelos atletas de alto rendimento também sirvam para o desenvolvimento da base esportiva do país. Para ele, a política pública do setor deve ser voltada para a educação dos jovens. “Com a mesma disposição que alocamos recursos para o alto rendimento, para termos um bom desempenho nos Jogos Rio 2016, queremos desenvolver o esporte social. Queremos chegar a todos os municípios, oferecendo espaços públicos para a prática de esportes. São Luís recebe, hoje, os gestores de esporte de todo o Brasil para discutirmos o futuro do setor. Queremos o Brasil uma potência esportiva, mas, sobretudo um exemplo na formação de cidadãos através do esporte”, projetou Hilton.

O ginásio “Castelinho” – palco de treinos e jogos do Maranhão Basquete, que disputa a liga nacional feminina – foi equipado por meio de convênio entre o Ministério do Esporte e a Confederação Brasileira de Basketball (CBB). Com investimentos de R$ 2,7 milhões foram adquiridos dez kits como o entregue em São Luís.

Para a principal estrela do time maranhense, Iziane Castro, contemplada pelo Bolsa-Atleta, o novo piso diminuiu o risco de lesões. “Para os atletas de alto rendimento, que treinam várias vezes por dia, intensamente, este piso diminui o impacto. Treinar em um piso de concreto diminui a vida útil de um atleta. Esse piso aumenta nossa vida útil, diminui as nossas lesões e podemos jogar duas partidas consecutivas sem problemas. Por isso, padronizar todos os ginásios do país é algo muito importante”, elogiou.

A Liga Nacional de Basquete (LNB) também recebe recursos por meio de convênios com o Ministério para a realização do Novo Basquete Brasil e da Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB) – voltada para atletas sub-22. Outros kits foram instalados nos ginásios de 19 clubes de todo o país, que disputam o NBB, no valor de R$ 5,4 milhões do governo federal.

(Foto: Paulino Menezes/ME)(Foto: Paulino Menezes/ME)Parque Aquático
Os nadadores Gustavo Borges e Rogério Romero acompanharam a comitiva do Ministério e do governo estadual durante a visita ao Parque Aquático, localizado ao lado do ginásio “Castelinho”. Os ex-atletas apresentaram um projeto de piscina olímpica, que é pré-fabricada, com placas de aço inox, coberta por vinil e importada da Itália. Com custos mais baixos e menor demanda de tempo para a instalação – cerca de seis meses – este tipo de equipamento deve ser usado nos Jogos Rio 2016 e será instalado em espaços como o Centro Paraolímpico e o clube Pinheiros, ambos em São Paulo.

O medalhista olímpico Gustavo Borges afirmou que a piscina é o primeiro passo para atrair a população para o local e difundir a prática do esporte. “Você tendo a piscina, a população, a base e o alto rendimento podem usá-la. O equipamento é o início do trabalho, porque se ele é adequado as pessoas são atraídas. Conheço várias cidades que têm fila de espera para a prática da natação. Temos que criar a cultura esportiva, mostrar para a população que existe um lugar, divulgar e ter bons profissionais para atender a todos”, analisou Borges.

Antes das visitas ao Parque Aquático e ao ginásio Georgiana Pflueger, o ministro do Esporte conheceu o gramado do estádio de futebol Castelão, acompanhado pelo governador do estado e pelos pentacampeões mundiais Cafu e Edmílson. Os ex-atletas e George Hilton arriscaram algumas cobranças de pênaltis em uma brincadeira com crianças de escolinhas que utilizam o campo do estádio. O local, com capacidade para 40 mil pessoas, integrou o catálogo da FIFA para Centros de Treinamento da Copa do Mundo.

 

Gabriel Fialho, de São Luís
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla