Ministério do Esporte Bolsa Pódio da canoagem reafirma ligação entre o esporte de base e de alto rendimento
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

Bolsa Pódio da canoagem reafirma ligação entre o esporte de base e de alto rendimento

Foto: Paulino MenezesFoto: Paulino MenezesA canoagem é a mais nova modalidade com atletas contemplados pela Bolsa Atleta Pódio, do Plano Brasil Medalhas do governo federal. Durante a entrega dos certificados do programa aos sete canoístas contemplados pelo governo, na manhã desta segunda-feira (09.12), o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, ressaltou que, se hoje o governo disponibiliza o benefício, é pela decisão da presidente Dilma Rousseff de fortalecer o esporte de alto rendimento e o esporte olímpico no Brasil.

“Temos a ideia de que o esporte de alto rendimento não está dissociado do esporte educacional e de lazer. O governo tem que combinar as suas ações de forma a permitir o acesso a todas as práticas esportivas. Assim, o governo tem diversas ações, como a construção de 5 mil quadras escolares e cobertura de outras 5 mil nas escolas públicas já existentes, além dos recursos para a construção dos Centros de Iniciação ao Esporte que estarão integrando o programa de alto rendimento do nosso país”, explicou o Aldo Rebelo. 

São sete atletas contemplados até o momento. Da canoagem velocidade olímpica, Nivalter Santos, Ronilson Oliveira, Erlon de Souza Silva e Isaquias Queiroz são os atendidos, enquanto da paracanoagem são três nomes: Fernando Fernandes, Marta Santos Ferreira e Luis Carlos Cardoso da Silva.

Fotos: Paulino MenezesFotos: Paulino Menezes

Fernando Fernandes, tricampeão mundial da paracanoagem, ressalta que o apoio financeiro da Bolsa Atleta Pódio é uma valorização aos atletas. “Os atletas são os representantes da nação do povo brasileiro. Esse apoio é fundamental para a estabilidade psicológica do atleta e podermos exercer o nosso trabalho de maneira tranquila para poder remar e buscar os resultados”, diz. O atleta acrescenta que o crescimento da paracanoagem trouxe visibilidade pelos resultados conquistados nos últimos anos. “Há quatro anos houve um crescimento absurdo, com cinco atletas competindo, e hoje contamos com mais de 70.”

Os canoístas beneficiados Isaquias e Erlon foram descobertos para o esporte dentro do programa Segundo Tempo – projeto com cunho social do Ministério do Esporte. O secretario nacional de Esporte de Alto Rendimento, Ricardo Leyser, afirma que poder atender atletas que vieram de um programa social mostra a importância de ter iniciativas interligadas para o esporte nacional.

“É mais um exemplo de que não há uma contradição entre o esporte de alto rendimento e o esporte de inclusão social. É possível a gente trabalhar a inclusão das comunidades e ao mesmo tempo selecionar os talentos e dar o caminho profissional. A grande vantagem dessa ligação é permitir ao jovem que vem de uma comunidade carente de um bairro mais periférico chegar ao Bolsa Pódio e receber R$ 15 mil, a exemplo do Isaquias que é campeão mundial. Isso reforça a ideia de continuidade no esporte”, acentua.

 

Breno Barros, de São Paulo
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla